Duas de mim

(Foto: Abigail Low/ unsplash)

Tem uma Renata que se acha independente, forte e empoderada. Tem uma Renata calada e perdidamente apaixonada.

Tem uma Renata que adora uma mesa de trabalho bagunçada. Tem uma Renata que gosta de uma cama desarrumada.

Tem uma Renata que quer falar sobre bullying, homofobia, feminismo, racismo, veganismo. Tem uma Renata que quer se calar diante tudo isso.

Tem uma Renata com ambição. Tem uma Renata com coração.

Tem a Renata racional. Tem a Renata animal.

Tem a Renata que foca e decide. Tem a Renata que enrola e desiste.

São duas Renatas diferentes. A de calça jeans e a de shorts jeans. A de cabelo solto e a de cabelo preso.

A corajosa e a medrosa.

A confiante e a meliante.

A carente e a crente.

A gata e a rata.

A charmosa. A amorosa. A dengosa.

A desastrada. A perturbada. A sensata.

Tem a Renata sonhadora. Tem a Renata usurpadora.

A carismática e a asmática. A bem-humorada e a emburrada.

Tem duas de mim.

Duas ao mesmo tempo. Duas em tempos separados.

Duas que se fundem. Duas que se opõem.

Duas que se vêm. Duas que se vão.

Você cuidar de si?

Gostar de si é a base do cuidado que podemos dedicar a nós mesmos e aos outros

A falta de conhecimento de si é um grande problema que vivemos enquanto sociedade que, ao mesmo tempo em que se pensa conectada, está mais desconectada do que nuca.

O Sol, o céu, a Lua, somos cercados por poderosas forças para contemplar e mergulharmos em nós mesmos para conhecermos o fundo de nosso próprio mar.

“Cuidar de si mesmo é a forma de tomar seu poder pessoal de volta”, escreveu Tadashi Kadamoto.

“Cuide de si mesmo como você cuidaria de alguém que você ama”, complementou.

Ser gentil com a gente mesmo é poderoso.

(Foto: Boris Smokrovic / Unsplash)

Já nos ensinou a escritora Audre Lorde que o autocuidado é revolucionário e buscar algo que nos eleve a alma é antídoto contra a dor.

“O autocuidado é revolucionário em seu poder curativo e transformador – quando nos nutrimos, nos tornamos o tipo de pessoa que aspiramos ser, revolucionando as próprias vidas”, escreveu Susy Reading, autora do livro Self-Care Solution: Smart Habits & Simple Practices do Allow You to Flourish (Solução de autocuidado: hábitos inteligentes e práticas simples para permitir que você floresça, em tradução simples).

“O autocuidado é uma arte porque nossas necessidades estão sempre mudando e é preciso uma percepção real para checar, perceber e depois tomar a ação apropriada e amorosa que nutre não apenas no momento, mas também a pessoa que estamos nos tornando”, disse Suzy.

Para mim, autocuidado é uma jornada diária de tentar entender cada vez mais o que me faz bem e mal. E sinto que faz muita diferença quando consigo respeitar minhas necessidades.

O autocuidado vira uma porta de entrada para nos conectarmos com quem somos e olhar nossas verdadeiras necessidades.

“A gente vive num mundo que nos chama o tempo todo. E uma dica é visitar a solidão que traz uma conexão mais profunda e delicada com a gente mesma”, falou a psicóloga Myrna Coelho.

“E se cuidar também é aceitar a vulnerabilidade”.

Cuidar de si é uma jornada de se enxergar, de nutrir um amor por você.

Cuide-se

Não se abandone

Permaneça

Supere as dificuldades

Admire o ser humano que você é

Zack Magiezi, poeta

Lembre-se: você tem uma resiliência – capacidade de se adaptar ou de se recuperar facilmente – muito maior do que imagina!

Se Deus criou o homem, uma parte de Deus reside em cada ser humano.

Mas, o que é Deus? Deus é luz. Deus é a própria luz, e uma parte dessa luz reside dentro de você; portanto, tenha mais confiança em si mesmo.

“Você abriga em si muito mais potencial do que já se deu conta. Você tem uma grande força interior capaz de modificar a si mesmo”, expressou Mestre Ryuho Okawa, da Happy Science.

Seja uma garota rebelde

É preciso conhecer o caminho percorrido por aquelas que nos antecederam. Aprender com mulheres que desafiaram seu tempo e construíram um legado e chão batido para que outras pudessem caminhar.

O livro Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes, das autoras Francesca Cavallo e Elena Favilli, reúne biografias de mulheres que provam a força de um coração confiante.

Ao ler esta obra, tudo o que podemos sentir é esperança e entusiasmo pelo mundo que estamos construindo.

Um mundo onde gênero não define quão alto você pode sonhar nem quão longe você pode ir.

Para as garotas rebeldes de todo o mundo:

“Você é a promessa

Você é a força

Não dê um passo atrás.

E, assim, todo mundo vai avançar”.

Sobre Eleanor Rooselvelt

  • Soube pensar, ser livre e independente.
  • Como primeira-dama, Eleanor fez discurso, viajou por todos os estados e tornou-se defensora dos direitos humanos. Ela acreditava que todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos, e estava determinada a promover esses direitos em todo o mundo.
  • Eleanor foi nomeada a delegada da ONU. Ela se tornou a presidenta da Comissão de Direitos Humanos e liderou a criação de um dos documentos mais importantes do século XX: a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
  • Este belo documento inspirou governos a aprovarem leis que protegem a vida humana e encorajou cidadãos a tomarem providências quando seus direitos fundamentais lhes fossem negados. Graças a Eleanor – e ao incansável trabalho de muitos representantes de todo o mundo – liberdade, igualdade, dignidade, respeito e segurança se tornaram objetivos comuns para todas as pessoas em todas as nações.

“Todos os dias, faça uma coisa que te assuste”.

Sobre a ultramaratonista Lowri Morgan

  • Nasceu no Reino Unido, em 1975.
  • “A maior glória não está em nunca cair, mas no modo como nos levantamos”.
  • “Adoro olhar para trás, para o vale da montanha, e pensar ‘uau, não acredito que cheguei tão longe’”.

Sobre a mergulhadora Johanna Nordblad

  • Se não fosse pelo acidente, Johanna talvez não descobrisse o prazer de mergulhar no gelo. Ela diz que, às vezes, uma maldição na verdade pode ser uma benção disfarçada.

Sobre a empresária Madam C. J. Walker ( a série “A Vida e a História de Madam C.J. Walker” está na Netflix)

  • A primeira mulher nos Estados Unidos que, tendo começado do zero, tornou-se milionária.
  • “Não estou satisfeita em ganhar dinheiro só para mim, eu me esforço para oferecer emprego a centenas de mulheres negras”.

Sobre a ginasta Nadia Comãneci

  • “É preciso descobrir sozinha seu próprio destino e a rota para chegar lá, pois ninguém mais sabe o caminho”.

Sobre a ativista Ruby Nell Bridges

  • “Não siga o caminho. Vá onde ainda não há um caminho e comece uma nova trilha”.

Sobre a relojoeira Corrie Tem Boom

  • Nasceu na Holanda/ 1892-1983.
  • “A medida da vida, afinal, não é sua duração, mas sua doação”.

Sobre a revolucionária Anita Garibaldi

  • Nasceu no Brasil.
  • 30/08/1821 – 04/08/1849.
  • “Não tenha medo de viver, de correr atrás dos sonhos. Tenha medo de ficar parada”.

Sobre Audrey Hepburn

  • 04/05/1929 – 20/01/1993.
  • “Conforme você cresce, vai descobri que tem duas mãos: uma para ajudar a si mesma e outra para ajudara os outros”.

Sobre a escritora Chimamada Ngozi Adichie

  • Nasceu na Nigéria em 15/09/1977.
  • “Algumas pessoas dizem que as mulheres devem ser subordinada aos homens porque é assim na nossa cultura Mas a cultura está sempre mudando! Cultura não faz as pessoas. As pessoas é que fazem a cultura!”.
  • “O racismo nunca deveria ter acontecido, então você não vai ganhar um parabéns por ajudar a reduzi-lo”.

Sorria, por Charles Chaplin

Photo by Edo Nugroho on Unsplash

Toda vez que estou meio borocoxô releio este poema. De mim para mim mesma:

“Ei! Sorria… Mas não se esconda atrás desse sorriso…

Mostre aquilo que você é, sem medo.

Existem pessoas que sonham com o seu sorriso, assim como eu.

Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa.

Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos.

Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome!

Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz.

Procure o que há de bom em tudo e em todos.

Não faça dos defeitos uma distância, e sim, uma aproximação.

Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver.

Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove.

Ei! Olhe… Olhe a sua volta, quantos amigos…

Você já tornou alguém feliz hoje?

Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo?

Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você.

Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.

Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela.

Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você.

Ei! Ouça… Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante.

Suba… Faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo.

Mas não se esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida.

Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você.

Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar.

Ei! Você… Não vá embora.

Eu preciso dizer-lhe que… Te adoro, simplesmente porque você existe.”.

Inveja é uma m*

Inveja. Eu a tenho. Tu a tens.

A inveja é um peso. Impede que você pense na sua vida e desvia o foco para a obra alheia.

(Foto: Unsplash)

Porque, sim, somos humanos e precisamos assumir que a felicidade do outro nos incomoda.

Eu não aguento mais gente que (supostamente) deu certo na vida. Inveja é uma merda. Como combatê-la?

Olhando para as coisas boas que você possui, dentro de si e à sua volta; parando de se comparar com os outros e prestando mais atenção em você; enxergando o milagre que é estar vivo; estudando, evoluindo, conhecendo o mundo e a si mesmo.

Quanto mais a gente fala das coisas ruins, menos atenção a gente dá para as coisas boas e a vida vai ficando ruim, ruim, ruim.

As palavras que dizemos têm um poder extraordinário de levar nossa vida adiante.

Enquanto as palavras positivas são capazes de nos fazer avançar, as negativas têm o poder de nos puxar para trás. E se for assim, nunca chegaremos ao nosso destino, não importa o quanto possamos ir longe.

Vamos escolher palavras fortes, cheias de energia positiva e construtiva. Este é um dos métodos mais essenciais para se chegar a uma vida bem-sucedida.

O “efeito inveja do Instagram”, por Nina Lemos

A inveja é um fato. É só uma prova de que você é humano. Demasiadamente. E não sentir inveja depois das redes sociais é algo praticamente impossível de evitar, sejamos sinceros.

Segundo alguns estudos, é a inveja, inclusive, a grande responsável pelo sucesso do Instagram. Alguns postam coisas para causar desejo. Outros desejam. E assim segue a roda.

Minha alimentação

Photo by Eaters Collective on Unsplash

Sou adepta do * descascar mais e desembalar menos *. Sou adepta também de substituir opções calóricas por produtos mais saudáveis.

Nos últimos anos, tenho comido menos carne vermelha e dado preferência para frutas, legumes e coisas que vêm da terra, seja para melhorar a minha saúde ou perder peso.

Tenho feito uma seleção do que ponho dentro do meu corpo. Ter uma alimentação saudável, prática e saborosa não é uma missão impossível.

Cometo alguns deslizes na alimentação, confesso. Tenho meus momentos cheios de guloseimas.

“Metade do prato deve ser de vegetais – crus e cozidos. Estes, além de dar saciedade pelo alto teor de fibras, são as principais fontes de micronutrientes. Procure sempre garantir três cores de vegetais diferentes no seu prato. Quanto mais coloridos, mais compostos antioxidantes, vitaminas e minerais“, recomenda Laís Murta, nutricionista funcional.

A alimentação baseada em plantas (ou vegetais) consiste em uma redução de carnes, ovos e laticínios e em um maior consumo de grãos integrais, frutas, legumes, sementes, nozes e castanhas, em comparação com uma dieta centrada no consumo de carne.

No entanto, seja uma alimentação vegana, vegetariana ou baseada em vegetais, elas não são sinônimo de saúde. É preciso pensar no que comemos e no que está por trás da produção dos alimentos, como também em como comemos.

O Guia Alimentar para a População Brasileira, editado pela última vez em 2014, é um documento muito importante do Ministério da Saúde que pode nortear os brasileiros em suas escolhas alimentares. Em vez de porções de alimentos e quantidades de nutrientes, o guia nos mostra que existem diversas maneiras de comer e que é importante ter os alimentos in natura como base da nossa alimentação, enquanto que os ultraprocessados devem ser consumidos em menores quantidades, mas não precisam ser excluídos nem vistos como vilões.

Os alimentos in natura não sofrem alterações ao deixarem a natureza e são provenientes de plantas e animais, como frutas, legumes, verduras e carnes frescas. Se esses alimentos passam por algum processo de limpeza, remoção de partes não comestíveis ou métodos de conservação que não envolvam a adição de substâncias, como a refrigeração ou o congelamento, os chamamos de alimentos minimamente processados. Já os produtos que passam pela indústria e recebem a adição de substâncias culinárias (sal, açúcar e gorduras) são os alimentos processados, como os queijos, pães e frutas em compotas. Por último, temos os ultraprocessados, que levam em suas formulações industriais vários ingredientes e diversos aditivos para conservar e produzir alimentos mais atrativos. Eles pouco têm a ver com a matéria-prima original, como por exemplo, os salgadinhos de milho, salsichas ou iogurtes aromatizados que encontramos nos supermercados.

O melhor é sempre dar preferência aos alimentos de verdade, mas também é muito importante que tenhamos prazer ao realizar nossas refeições e consigamos compartilhar momentos felizes mesmo no fast food e mesmo sendo vegano.

Nós, seres humanos, não buscamos apenas nutrientes e tipos de alimentos que o nosso organismo necessita, mas também uma comida que seja saborosa, nos proporcione prazer e satisfação.

Você pode comer de tudo e atingir uma vida saudável. Prefira comida de verdade, coma sem culpa e faça as pazes com a comida!

My friends

Photo by Becca Tapert on Unsplash

Minhas alegradoras crônicas. Meus vetores da alegria. Com elas não há erro: encontrou/ saiu melhor!

Minha amiga Frá

Ela é loira. Muito loira. Ela usa turbantes, batom vermelho e botas de cowgirl. Ela é sweet. Ela é mãe, filha, irmã, tia, esposa e jornalista. Ela está vivendo momentos muito difíceis. Ela tem fé.

Ela me lembra o sol com bolas de gudes azuis.

Ela se comprometeu com esse sentimento de esperança apesar das circunstâncias difíceis.

Minha amiga Lúcia

Eu a chamo de Neiva, Neide, Marilene, Maria, Marilu. Nunca de Lúcia. Ela é mãe de dois, esposa de um, publicitária e empreendedora. Ela é otimista. Ela é corajosa. Ela é sábia. Ela tem o coração forte.

Ela deve ter, com MUITA certeza, centenas de adesivos fofos de caderno. Ela me escuta. Ela sabe quem são a Agnes, a Betty Tessuto, a Kátia “a cega”.

Ela também se comprometeu com esse sentimento de esperança apesar das circunstâncias difíceis.

Minha amiga Alana

Neni. Neninha. Eu queria que todas as pessoas tivessem uma pessoa como a Alana em sua vida, autêntica e excêntrica.

Ela é empoderada e tem a autoestima elevadíssima. Ela liga o foda-se para as opiniões alheias e para os machos escrotos. Ela é livre como um pássaro, gosta da liberdade. Aquariana, né? Conquista a todos que estão ao seu redor.

Por fora, rebelde; mas por dentro, um coração bondoso.

Ela defende os animais. Ela come salaminhos matinais. Ela tem pais geniais.

Ela me lembra a Anira, a Rihanna, a Beyoncé e a Rochele, mãe do Chris.

Eu seria uma pessoa bem menos feliz se não a conhecesse. Ela me alegra com um simples “bom dia” ou “arô”. Uma vez eu a pedi: não saia nunquinha da minha vida!

E, nas pessoas cujas mãos eu seguro, acho um elo inquebrável, nutrido por infinitas histórias para contar. (Rafaela Carvalho)