Ganhos da quarentena

Não foram só quilos e espinhas que ganhei neste período incerto e nebuloso em que estou vivendo.

Descobri online algumas grandes pessoinhas que passaram a fazer a diferença no meu dia a dia. Eu as sigo quase que diariamente a fim de me alimentar dos seus conteúdos os quais, sem dúvida, conectam comigo e colaboram para construção do meu conhecimento.

Eu as chamo de musa, gêmea, mentora, amada, deusa, guru. Na verdade, gostaria mesmo de chamá-las de amigas, daquelas que a gente sai para tomar café com pão de queijo, e papear sobre a vida.

A internet tem me possibilitado acessos inimagináveis, tenho aprendido muito sobre produção de conteúdo, militância e cultura negra.

Eis os meus ganhos, pessoas muito boas, que eu admiro:

– Ana Holanda

Muita gente fala que os cursos de escrita da Ana são maravilhosos e mudam a vida de quem escreve (ou não). Eu gosto bastante de quando ela fala sobre escrita afetiva, de vir de dentro, de jogar luz e de compartilhar com o outro nossas palavras.

Tive a oportunidade de escutá-la em algumas lives e, realmente, os papos com a Ana se resumem em aprendizado e afeto. Ana espalha amor pelas palavras. O seu melhor conselho é esse: deixe a palavra te conduzir.

– Beta

Eu já contei a ela que foi por causa do seu extinto blog que comecei a escrever o meu. O nome da Beta encabeça a minha lista de inspirações. Tudo que ela publica eu aplaudo. Também me identifico com o seu olhar melancólico diante das incertezas do momento.

Ela me lembra uma personagem de filme noir francês. Poemas, artes, fotos, letra; tudo que compõe seu feed tem um ar de indie classudo.

– Ana Lu

Tenho vontade de colocar a Ana dentro de um potinho de tão preciosa que ela é.

Ela escreve de dentro (discípula de Ana H.), de forma simples e potente. As palavras que saem do fundo do seu coração brotam direto na tela do meu celular, em forma de notificação. Além disso, a Ana curte os podcasts que eu escuto, lê Vida Simples, é fã de Ruth Manus e Martha Medeiros, é a louca das listas e ainda faz rotina de skincare.

Ou seja, A GENTE TEM ASSUNTO PRA VIDA INTEIRA.

– Maria Vitória

Maravilhosa. A cada post seu, eu me vejo sentada numa sala de aula com caderno e caneta a postos, já que seus conteúdos ajudam escritores independentes e produtores de conteúdo, assim como eu.

Ela fala sobre estratégias para instagram, escrita criativa, produção de conteúdo e vivências negras.

Ela também é extremamente necessária quando o assunto é: desigualdade racial, racismo e seus efeitos.

Eu abri a minha bolha branca cheia de privilégios e a convidei para uma visita. Ela não só aceitou como me respondeu:

“O processo de desconstrução do ser humano é a passagem da vida mais importante e significativa, uma vez que se percebe seu lugar no mundo e entende as condições sociais ao qual se está inserido e tenta, de uma maneira singular mudar a realidade. Gostei muito das suas reflexões e informações, são posts realmente bem estruturados e que mostram várias verdades e apontamentos racistas em que as pessoas brancas adotam ao longo de suas vidas. É uma leitura leve e didática, mesmo o assunto sendo extremamente sério e isso é muito bom, porque traz a opção de atingir muito mais pessoas. Obrigada por compartilhar seus textos comigo, estou passando a seguir seu blog para acompanhar mais de perto os próximos temas que virão”.

– Bruna Cosenza

Criadora do meu blog preferido, Para Preencher, cujas palavras transbordam sentimentos. As suas dicas de escrita caem como uma luva para mim. Ela também fala sobre a liberdade de ser freelancer, felicidade e gratidão, saúde mental e tantos outros assuntos dos quais muito se fala hoje em dia. Sempre de forma LEVE.

Por muito tempo, eu deixei de escrever porque achava que precisava aprender tudo antes para ter um texto perfeito. A Bruna me ensinou que devo apenas escrever, sem rodeios e sem pensar muito. SEM MEDO!

“Escrevo para preencher quem está vazio, quem está pela metade. Para Preencher alguém em algum lugar”.

Iruama Santana

Mais uma blogueira/ influenciadora falando sobre cuidados com a pele, beleza e bem-estar! NÃO! A Iru trata desses assuntos (de suma importância para mim, ok?) de forma humanizada, real.

Vocês não têm ideia do quão complexo é lidar com a pele. Mas a Iru tem! Ela narra seus altos e baixos no convívio com a rosácea, divide seus tratamentos e suas frustrações. Ah, e sempre responde os meus comentários e directs. Adoro!

Seu maior segredo de beleza? “Paciência e dedicação valem a pena, sempre, em qualquer área da vida”.

“Será que a gente precisa estar 100% para se sentir 100%? Já disse que não enxergo coisas normais da pele, poros, por exemplo, como imperfeições. São características normais. É claro que algumas características mais acentuadas podem incomodar. Porém, tentar controlar tudo para manter um padrão inventado e espúrio nos leva a uma constante insatisfação.

Pois, o que nos parece grande, aos olhos de outras pessoas, pode nem ser nada. Porém, há mais uma coisa: ter me desligado dessa questão da acne durante o dia inteiro, me fez nem pensar ou perceber se estavam reparando ou não… A mudança que queremos, realmente, começa em nós”. ⁣

Edgard Abbehusen

Quem me indicou o instagram do jornalista baiano que se diz sonhador de um mundo melhor foi minha best Neide.

Desde então, suas publicações de textos, frases, crônicas e poemas de amor são aplaudidas por mim e mais uma legião de seguidores.

Para todos que estão vivendo um momento difícil, as palavras do Edgard nos ajudam a reaprender a amar e a continuar. A fazer novos caminhos, outras escolhas.

“Edgard cuida de si e do outro quando escreve. É cuidado em forma de palavra”. – BRÁULIO BESSA, POETA E ESCRITOR

Pastor Henrique Vieira

Pastor, ator, escritor, poeta e militante na defesa dos direitos humanos. Bastou escutá-lo uma vez no podcast Mamilos, junto com a psicanalista Maria Homem, que passei a segui-lo e a escutar suas falas calmas e tocantes sobre fé, amor e revolução.

Ele me faz olhar para dentro e para fora, com solidariedade e compaixão. Ele me faz acreditar que o sol não deixa de brilhar mesmo em dias chuvosos!

Ele me ajuda a ter fé na vida, confiança na bondade e perseverança no amor.

“Não temos controle sobre todas as variáveis da vida. Esta perspectiva não deve nos levar ao desespero, mas provocar em nós a valorização das coisas simples e singelas, do tempo presente. Deve nos levar ao cuidado conosco e com o próximo. Deve nos despir de toda vaidade e ganância e abrir nosso peito para um encontro fraterno com a humanidade. Diante da nossa fragilidade podemos dar um sentido mais intenso e amoroso para nossa existência. Olhar para dentro e acolher nossa fragilidade e olhar para fora e amar a humanidade e toda Natureza da qual ela faz parte”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s