Tudo bem não estar bem

Photo by freestocks.org on Unsplash

Tudo bem deitar na rede. Tudo bem assistir TV. Tudo bem dormir à tarde. Tudo bem não ler todos os jornais, não limpar a caixa de e-mail, não deletar as fotos da galeria do celular. Tudo bem comer um chocolate, um pedaço de pão. Tudo bem pedir um pastel, de catupiry com milho. Tudo bem terminar o dia sem fazer abdominais. Tudo bem tomar remédio para embalar o sono. Tudo bem sentir ódio, inveja, raiva. Tudo bem fazer uma tempestade num copo d’água. Tudo bem não querer sair de casa por conta de uma espinha. Tudo bem não escovar os dentes à noite, e nem passar o fio dental de manhã. Tudo bem sentir-se solitária, a última das criaturas. Tudo bem ter medo do futuro. Tudo bem chorar pelo passado. Tudo bem estar desempregada. Tudo bem estar de pijama, sem maquiagem.

Ninguém tem a obrigação de ser mega produtiva.

Faça se for prazeroso. Faça se tem sentido para você. Faça se te traz conforto e paz de espírito – Ruth Manus.

A vida nunca é perfeita. E as imperfeições são a graça da vida. Não carregue o fardo da perfeição. Mostrar-se vulnerável é corajoso, é quando me conecto com as pessoas.

É natural sentir angústia diante das adversidades da vida – e a pior maneira de lidar com esse sentimento é negá-lo e sufocá-lo diante da suposta obrigatoriedade de ser feliz o tempo todo.

“Só conseguimos nos reerguer quando aceitamos e experimentamos a fundo nossas frustrações“, enfatiza consultora em carreira Taís Targa.

“Comece com a aceitação. (…) Você é um ser humano e tem permissão para experimentar todos os tipos de sentimento. (…) Só depois que aceitei a minha vulnerabilidade (…) consegui viver uma vida melhor”.

Como diz o psicólogo Rodrigo Luz, da Fundação Elisabeth Kübler-Ross (sobre o luto, mas vou dar uma adaptada): “a vida é contração e expansão. Então, tudo bem um dia estarmos melhores e em outros estarmos piores”, continuamos em movimento porque o pulso ainda pulsa. E  sempre pulsará.

A dor de existir

O escritor Ivan Martins fala que o sentimento de abandono e desamparo está conosco desde o instante em que chegamos ao mundo, e deve nos seguir até o fim. De certa forma, ele nos torna humanos.

Leio a autora de “Amor de Mãe”, Manuela Dias:

“Aprendi, em momentos muito sofridos, a pensar que alguma coisa tenho que aproveitar daquilo. E o que eu pensava era: eu vou aproveitar isso. Não posso só sofrer. Tenho que partir para cima dessa experiência de algum jeito. Aprendi com a minha mãe essa resiliência, a pegar uma coisa ruim e transformar em coisa boa”.

Você é mais forte do que pensa!

Somos muito menos frágeis do que frequentemente acreditamos. Lembre-se sempre de sua capacidade de perseverar.

O sofrimento pode nos ensinar!

A maior parte do que aprendemos veio a nós em períodos de sofrimento.

Seu passado é um registro de provações superadas. Use seu próprio exemplo para ganhar coragem!

São as dificuldades que mostram os homens. Epíteto

A forma como lidamos com tempos difíceis é que determina nosso verdadeiro valor.

Nas grandes tristezas voltamos à nossa essência, reconectamos o fio da nossa força interior, buscamos a própria mãe dentro da gente, a paixão por si mesma, e saltamos do fundo das entranhas como um golfinho salta do mar para o ar.

Fobia de sofrer

Vivemos numa sociedade que não sabe sofrer, chorar.

Eu desprezei, por muito tempo, o sofrimento. Não queria ficar triste de jeito nenhum. Eu me blindava de várias maneiras para fugir de situações dolorosas.

Quando o meu primeiro namorado terminou comigo, fiz um Tinder no dia seguinte.

No dia seguinte ao Tinder, conheci meu segundo namorado.

Quando o meu segundo namorado terminou comigo, fiz um desabafo no dia seguinte.

No dia seguinte ao desabafo, conheci meu terceiro namorado.

Quando o meu terceiro namorado terminou comigo, comprei uma calça jeans da Carmim no MESMO DIA.

Pra quê sofrer assim?

Expectativa é a raiz de todo sofrimento – William Shakespeare

Sim, eu odeio injeções.

“Segura que hoje tem seringa. Fecha o olho e vamos!“.

Sim, eu tenho crises de choro.

“Deita e chora. Sustenta essa tristeza!”.

Chorar não é expor fraquezas. É se expor. E fazer isso é para aqueles que têm coragem de mostrar a própria alma e deixar ser visto num mundo em que a maioria cisma em se esconder. Ana Holanda

Sim, eu sofro de insônia.

“Não tem problema se o sono não veio. Nesse momento nasce um poema“.

Dor e sofrimento não necessitam de uma solução rápida. Necessitam de vivência, experiência.

“Viva essa dor até acabar!”.

E quando vai ser?

“Não sei”.

  • A lágrima vai dar o fruto.
  • Curar é “dar tempo”.
  • Cuidado não é algo rápido.

Dê tempo para a dor. Aprenda a ficar triste. Assuma essa tristeza.

Chega de dopar seus sentimentos.

Um triste consciente tem grande chance de se tornar um feliz consciente.

Viver a dor, dói (…) O trabalho que a gente faz para não viver a dor, dói também (…) Quanto mais a gente recalca, se aliena, no processo de sabotagem da consciência, mais a gente está fazendo doer e se machucando de um jeito que o retorno é sem sentido. Ele aumenta a angústia”. Maria Homem.

Somos menos frágeis do que pensamos diante das adversidades. Temos um poder interior arrebatador que nos arranca, com raiz e tudo, da sofrência e da estagnação.

Meu modo zoloft de ser:

Socorro – Arnaldo Antunes

Socorro, não estou sentindo nada.
Nem medo, nem calor, nem fogo,
Não vai dar mais pra chorar
Nem pra rir. Socorro, alguma alma, mesmo que penada,
Me empreste suas penas.
Já não sinto amor nem dor,
Já não sinto nada. Socorro, alguém me dê um coração,
Que esse já não bate nem apanha.
Por favor, uma emoção pequena,
Qualquer coisa. Qualquer coisa que se sinta,
Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva.
Qualquer coisa que se sinta,
Tem tantos sentimentos, deve ter algum que sirva. Socorro, alguma rua que me dê sentido,
em qualquer cruzamento,
acostamento,
encruzilhada,
Socorro, eu já não sinto nada. Socorro, não estou sentindo nada.

Sei Lá… A Vida Tem Sempre Razão – Toquinho 

Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída.
Como é, por exemplo, que dá pra entender:
A gente mal nasce, começa a morrer. Depois da chegada vem sempre a partida,
Porque não há nada sem separação.
Sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão.
Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão. A gente nem sabe que males se apronta.
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Que nada renasce antes que se acabe,
E o sol que desponta tem que anoitecer. De nada adianta ficar-se de fora.
A hora do sim é o descuido do não.
Sei lá, sei lá, só sei que é preciso paixão.
Sei lá, sei lá, a vida tem sempre razão.

“Eu me esforço para viver cada dia como se fosse uma vida completa”. Sêneca

Em momentos de crise, nosso futuro é obscuro. Não podemos mais viver na expectativa sobre coisas melhores que virão. A chave para a realização está em aceitar a incerteza: lidar com um dia por vez e aprender a valorizar cada momento de prazer que ele contém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s