2018

Ela vem sem avisar. Ano a ano. Eu a odeio por causa disso. Poxa, nem um sinalzinho distante? Nada. Ela simplesmente vem.

Eu nunca a convido. Nunca a chamo. Nunca a desejo. E, mesmo com toda essa rejeição, ela cisma em aparecer sem hora marcada. Quando tudo parece estar under control, ela vem para me dar o seguinte recado:

  • não, meu bem, não está tudo sob controle;
  • eu ainda existo, viu. Por mais que você queira, eu não sumi;
  • supere isso! Aprenda a conviver com essas minhas visitas inesperadas;
  • do mesmo jeito que eu cheguei, eu também vou embora repentinamente. Sem avisar o dia e a hora. Aguarde e confie;
  • não é e primeira vez que isso acontece. Você já sabe como eu sou! Não se espante tanto;
  • eu sei que você tem as suas armas para me expulsar. Continue usando-as com parcimônia.

Neste ano, ela apareceu no terceiro dia de janeiro, causando um grande estrago. Mas eu a superei! Reapareceu a três dias de o ano terminar. E, com todo o medo dentro de mim, medo do estrago que ela possa vir a causar, eu sigo em frente, enfrentando-a!

Sinto orgulho de ter ultrapassado tudo isso. Todo mundo consegue ir adiante.

  • Eu dirigi um monte
  • Eu trabalhei um monte
  • Eu fiz unha um monte
  • Eu fiquei na sala um monte
  • Eu fiquei na cozinha um monte
  • Eu me olhei no espelho um monte
  • Eu viajei de ônibus um monte
  • Eu fiquei na casa de praia um monte
  • Eu fiquei sozinha um monte
  • Eu fui ao Sesc
  • Eu fui pra Alphaville
  • Eu fui ao cinema
  • Eu fui na vó
  • Eu fui na Bárbara
  • Eu fiquei no meu quarto
  • Eu fiquei na minha cama
  • Eu vi filmes na minha cama
  • Eu fiz séries de ginástica
  • Eu fiz a mala
  • Eu comi no balcão
  • Eu lavei a louça
  • Eu li jornais
  • Eu fiz comidas
  • Eu fui à psicóloga
  • Eu fui ao shopping
  • Eu fiz tratamentos estéticos
  • Eu fiz aulas de ginástica
  • Eu fui cortar o cabelo tantas vezes…
  • Eu caminhei tantas vezes…
  • Eu dancei tantas vezes…
  • Eu escutei músicas tantas vezes…

Eu fiquei bem, mas tão bem, que cheguei a pedir a Deus para não deixar o dia acabar! Não quero dormir… O dia tá tão bom, a vida tá tão boa. Não quero que esse dia acabe! Estou fazendo um grande esforço para não dormir… Estou morrendo de sono, mas eu não quero dormir, quero aproveitar mais esse diazzz.

Eu me orgulho tanto de ter feito tudo isso, porque, sim, houve uma época em que tudo isso acima era pura tortura. Comemore os pequenos hábitos. São pequenas vitórias! Não solte a mão de Deus. Você não está sozinha. E, se precisar, peça ajuda! As pessoas que te amam vão te ajudar.

Sobre crises de ansiedade

Acho que todos enfrentamos uma luta diária que só nós mesmos sabemos.

As crises não são desencadeadas por um motivo específico. É preciso buscar ajuda para tratá-las. Ocupar o máximo a minha cabeça. Focar mais em mim, no meu trabalho, fortalecendo a minha fé, procurando ficar com as pessoas que me fazem bem e tentando resolver tudo o que me incomoda.

O melhor texto que eu li sobre esse assunto aqui. Quem tem ansiedade entende.

“Se você não está se sentindo bem, não está sozinho e as pessoas que você pensa que nunca teriam um problema, na verdade, têm”, Lady Gaga.

Quando o corpo simplesmente não obedece a mente. Parar é sinal de sabedoria.

Sia abriu o coração para seus seguidores. No Twitter, a cantora, conhecida por esconder o rosto com grandes perucas, falou que está sofrendo com uma doença neurológica. Ela possui Síndrome de Ehlers-Danlos, que deixa as articulações flexíveis. A diva escreveu: “Eu estou sofrendo com uma dor crônica e queria falar com os que estão sofrendo com dor, seja física ou emocional. A vida é difícil para c***o. A dor é desmoralizante e você não está sozinho”.

“A pior parte de ter uma doença mental é que as pessoas esperam que você se comporte como se não tivesse”.

Entre tantas frases marcantes, essa com certeza é uma da qual não me esquecerei. O filme “Coringa” é capaz de nos fazer refletir sobre aquilo que, a maior parte do tempo, temos medo de encarar.

Transtornos mentais sempre foram polêmicos. Por muito tempo, as pessoas chamaram de “loucos” aqueles que sofriam de algum distúrbio psicológico.

Tal comportamento não tem sentido, visto que relatórios da Organização Mundial da Saúde apontam que, mundialmente, o número de casos de depressão aumentou 18% entre 2005 e 2015. De certa forma, não sabemos lidar com um dos maiores problemas que afeta a própria sociedade.

Deus nunca nos dá um fardo mais pesado do que podemos aguentar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s